Blog

O impacto das redes sociais na autoestima

As redes sociais podem unir pessoas de diferentes lugares do mundo, criando comunidades e enriquecendo a experiência de vida de todos. Mas nem tudo que vem das redes sociais é necessariamente algo positivo para você.

Ao abrir um app de fotos, vídeos e conversas, é muito comum nos deparamos com pessoas bem sucedidas, arrumadas, que acordam cedo, fazem atividade física, comem refeições bonitas e balançadas, têm famílias com expressões sorridentes em fotos, são felizes em seus trabalhos e ainda conseguem viajar com alguma frequência.

Depois de algum tempo observando essas fotos, vídeos e depoimentos, você se sente menos feliz, bonito, capaz? Ficam com a impressão de que falta algo na sua vida? Com sensação de mal-estar e até ansiedade?

Esses sentimentos são muito comuns em quem usa as redes sociais com frequência. Em 2019, o Instagram retirou o número de curtidas de suas postagens para proteger a autoestima dos seus usuários. Isso porque está comprovado que o padrão de beleza estabelecido pela mídia e influencers, o estilo de vida propagado, o uso cada vez mais frequente de filtros em fotos e vídeos, tudo isso pode influenciar a forma como você se percebe.

Sobre a autoestima

Em termos gerais, a autoestima é o valor que damos a nós mesmos. Esse valor varia muito com o tempo, sofrendo influências externas e internas. Quando alguém nos elogia por um trabalho bem feito ou por uma conquista, por exemplo, muitas vezes nos sentimos mais confiantes, com a autoestima elevada. Quando pensamos que não somos bons, bonitos ou bem-sucedidos como gostaríamos, podemos nos sentir menores, com a autoestima reduzida.

A influência interna tem como base a percepção que temos de nós mesmos, a nossa autoavaliação. O que acontece muitas vezes é que, por meio das redes sociais acabamos nos comparando com outras pessoas que estão em realidades completamente diferentes, como famosos ou influencers. Essa comparação pode gerar uma autoavaliação negativa, diminuindo a nossa autoconfiança e autoaceitação, que são pilares da autoestima. Pessoas mais jovens ou que passam mais tempo de olho nas redes sociais, são as mais afetadas por esse efeito.

O mundo de ilusão das redes sociais

Ao rolar nosso feed em uma rede social, mesmo sem querer somos bombardeados com imagens de corpos perfeitos, rostos impecáveis, viagens incríveis, bens de luxo e famílias felizes. É difícil não comparar sua própria vida com a daquelas pessoas e se perguntar: “o que eu estou fazendo de errado para não ser ou ter isso tudo?”

A verdade é que as redes sociais oferecem um recorte enviesado e nada realista das coisas. Dos influencers você só verá as fotos selecionadas, as mais bem tratadas em filtros e programas de edição, o melhor ângulo e a melhor iluminação, e tudo isso provavelmente depois de uma grande produção com direito a maquiagem e tratamento para o cabelo.

E mesmo com toda essa estrutura, são feitas centenas de fotos para selecionarem às vezes uma única que ficou boa de verdade.

Você nunca verá fotos dessas pessoas em situações naturais, de total relaxamento, porque esses momentos não geram fotos bonitas. Quer uma prova disso? Na próxima festa, experimente tirar fotos de amigos e familiares sem que eles possam se preparar antes. Você vai perceber que é praticamente impossível conseguir uma foto “instagramável” dessa maneira.

O fato é que nas redes sociais as pessoas nunca irão publicar o que há de feio, ruim, complicado ou irrelevante na vida delas, simplesmente porque isso não atrai seguidores. Mesmo que essas coisas existam no mundo real, você não verá fotos de estrias, olheiras, varizes, celulites, peles oleosas, secas ou flácidas, cabelos quebrados pela química, dentes amarelados, poses esquisitas ou algo sequer remotamente parecido com isso.

E você também não verá as dívidas, os cartões de crédito estourados, o crédito negado pelo banco, os aluguéis atrasados e nem o oficial de justiça batendo na porta às 9 da manhã, coisas que talvez sejam consequência daquela bolsa super cara que aparece no story, ou daquela viagem para o Caribe que gerou fotos lindas.

Ou seja, nas redes sociais você conhece as pessoas apenas pelo que elas têm de mais bonito, já que elas não publicam o que têm de feio. E não há nada mais mentiroso que uma história de apenas um lado, certo?

Como usar as redes sociais de forma positiva

Direta ou indiretamente, as redes sociais fazem parte do dia a dia de praticamente todas as pessoas nos quatro cantos do mundo. Para alguns é uma ferramenta de trabalho, para outros, uma forma de se aproximar de pessoas, conhecer outros lugares, criar conexões ou apenas mostrar suas habilidades na dança, no canto e até na fotografia, por exemplo.

Por isso, não vou dizer que a solução para manter uma autoestima elevada nos dias de hoje é estar totalmente afastado das redes sociais. Mais importante é impor limites (de tempo mesmo!) e trabalhar no seu autoconhecimento. Abaixo vou apresentar algumas dicas de como ter uma relação mais saudável com suas redes sociais.

1- O que você vê nas redes sociais é apenas uma versão da realidade.

Como eu falei no tópico acima, a vida nas redes sociais é uma ilusão. Quantas pessoas realmente postam seus piores momentos, aflições ou aquela foto logo ao acordar? As redes sociais também podem ser usadas como uma ferramenta de armazenagem de imagens e vídeos e por isso, muitas pessoas podem escolher postar o mais bonito para ver por muito mais tempo e assim aumentar sua autoestima! Também é uma forma de você compartilhar o que gosta, o que lhe faz bem, com outras pessoas.

2 – Tenha objetivos para usar as redes sociais.

Não é um problema você ficar olhando os momentos felizes de outras pessoas. O problema é quando você começa a se comparar e pensa que nunca vai ser tão feliz ou bem-sucedido. Então, que tal usar as redes sociais para seguir pessoas que são referência em assuntos que lhe interessam e assim conseguir aprender mais? Ou até começar novos hobbies, acompanhando canais e perfis de artesanato, músicos e escritores. Você também pode usar as redes sociais para falar um pouco mais sobre o seu trabalho, se autopromover e conseguir aquela sonhada vaga.

3 – Determine limites e se desconecte.

Não podemos deixar que as relações online substituam aquelas presenciais. Em muitos casos, as redes sociais podem aproximar amigos e parentes distantes, mas é importante encontrar um momento para se desconectar e viver o presente. Para isso, você pode determinar horários durante o dia para usar suas redes sociais. Assim sobra mais tempo para você fazer um passeio, encontrar amigos e cuidar da sua saúde física e mental.

4 – Trabalhe o seu autoconhecimento.

É muito fácil acharmos que tudo é perfeito na vida do outro e que talvez nunca teremos tanto sucesso. Mas o que é sucesso para você? Pense no que realmente importa, nas pessoas fundamentais em sua vida e tente evitar comparações. Você pode ser feliz com a forma que vive hoje ou pode buscar a felicidade. Só lembre antes de pensar: o que é felicidade pra mim? Como posso alcançá-la? E estabeleça metas realistas.

5- Tenha uma vida privada

Se você já é uma daquelas pessoas que usam com frequência as redes sociais, pense sobre o que você está postando e guarde algo só para você. A autoexposição excessiva que as redes sociais propiciam aumenta a chance de sermos julgados e criticados (muitas vezes por pessoas que nem nos conhecem) e isso pode abalar nossa autoestima. E ainda vou ressaltar mais uma vez a importância do autoconhecimento: ao se conhecer melhor, você pode analisar uma crítica, entender se ela faz sentido ou não, e o que você pode fazer para melhorar.

Como um psicólogo pode ajudar?

A psicoterapia é um momento seguro, onde você pode aprender a ser menos autocrítico, além de receber ajuda especializada para entender melhor os seus sentimentos e como lidar com eles.

O psicólogo vai auxiliar você a trabalhar sua confiança e a elevar sua autoestima, além de substituir a visão negativa que você possa ter sobre si mesmo por uma mais amável e bondosa. Eu posso ajudar você a lidar melhor com as redes sociais e ter mais saúde mental! Vamos conversar?

As consultas podem ser realizadas de forma presencial ou online. Entre em contato pelo número (27) 99978-0990 (ligação ou WhatsApp) e agende um horário comigo.

Se identificou com o texto? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Use os espaço dos comentários para enviar suas perguntas.

Cuide-se bem!

Isso foi útil?
+1
0
+1
0
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias

Aprenda dizer NÃO! Dicas para você mudar e se priorizar 1

Aprenda dizer NÃO! Dicas para você mudar e se priorizar

Sente necessidade constante de agradar outras pessoas, mesmo que você não se sinta feliz com essa decisão? Você pode sofrer de síndrome de boazinha.

O que faz um psicólogo e como ele pode me ajudar? 2

O que faz um psicólogo e como ele pode me ajudar?

Psicólogo é só para quem está com problemas psicológicos? Psicólogo receita remédio? Acabe com os mitos, entenda melhor o trabalho do psicologo e veja como a psicologia pode ajudar sua vida.

Você sabe identificar uma crise de ansiedade? 3

Você sabe identificar uma crise de ansiedade?

A ansiedade é um dos transtornos que mais atingem os brasileiros atualmente. Voce sabe quando está tendo uma crise de ansiedade e o que fazer nessas situações?

7 dicas infalíveis para se dar bem com sua rotina 4

7 dicas infalíveis para se dar bem com sua rotina

Você tem dificuldade em manter uma rotina saudável? Vou te ajudar a encontrar o equilíbrio necessário para ter uma vida com bons hábitos.

Teste: Você é um Dependente Emocional? 5

Teste: Você é um Dependente Emocional?

Você sente que só pode ser feliz se estiver em um relacionamento? Que não conseguiria viver sem o seu parceiro? Já foi chamado (a) de carente? Se você respondeu sim para alguma dessas perguntas ou conhece alguém que se encaixa nesse perfil, responda o teste!

A meditação e seus benefícios 6

A meditação e seus benefícios

Sabia que além de acompanhamento psicológico, remédios e atividade física, a meditação também pode ajudar no tratamento da ansiedade.

Transtornos mentais causados pelo trabalho 7

Transtornos mentais causados pelo trabalho

Já ouviu a famosa frase: o trabalho dignifica o homem? Mas o que fazer quando ele se torna uma fonte de desenvolvimento e agravamento de doenças psicológicas?

Transtorno de Estresse Pós-Traumático – As dores do passado também têm solução 8

Transtorno de Estresse Pós-Traumático – As dores do passado também têm solução

Todo mundo conhece alguém que já passou por um evento traumático que gostaria de esquecer. Mas quando essas memórias negativas começam a atrapalhar sua vida no presente por muito tempo, é hora de investigar se você não desenvolveu estresse pós-traumático.

Vamos conversar?
1
Precisa de ajuda?
Olá, tudo bem? 👋
Às vezes precisamos de uma mãozinha com alguns problemas. Um psicologo pode te ajudar em vários desses problemas. Agende seu primeiro atendimento!