Blog

Fobia social: muito mais do que simples timidez

Muitas pessoas confundem fobia social com timidez, mas na fobia social, a pessoa sente um medo intenso sendo algo muito mais grave.
jovem com fobia social

Na timidez, situações como novos ambientes, interação com pessoas desconhecidas ou falar em público podem até provocar certo medo, ansiedade e antecipação. Comumente esses sintomas são pontuais e desaparecem conforme cresce a familiarização do indivíduo com o evento/ambiente, e não costumam causar problemas mais graves.

Não é o caso de quem tem fobia social, que ao saber da possibilidade de ser confrontado com certas situações sociais ficará ansioso a um nível extremo, e conforme o momento social se aproxima, pode entrar em pânico, ficar paralisado ou até agressivo e fora de controle.

Mas se então fobia social não é um tipo mais forte de timidez, o que é?

O que é fobia social

A fobia social (também conhecida como ansiedade social) é o medo ou a ansiedade relacionados a determinadas situações sociais ou de desempenho, que são com frequência evitadas ou suportadas com muita angústia pelo portador da doença, segundo o Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders) da Associação Americana de Psiquiatria.

Ela é enquadrada como um subtipo de transtorno de ansiedade e atinge (pelo menos uma vez na vida) 13 em cada 100 pessoa no mundo. Como outros transtornos de ansiedade afeta mais mulheres (9%) do que homens (7%) anualmente segundo o Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (MSD).

Em resumo, fobia social é uma doença – com desdobramentos graves, conforme veremos a seguir – , e portanto, não pode ser tratada simplesmente como se fosse timidez ou falta de coragem, de educação ou de jeito para lidar com pessoas.

Sabemos quando um quadro é de fobia social quando:

  • É intenso e tem durado seis meses ou mais
  • Acontece em mais de uma situação social
  • O medo é desproporcional ao perigo verdadeiro
  • A pessoa evita ao máximo situações sociais
  • Envolve o medo de que outras pessoas julguem, ou tenham uma impressão negativa de si
  • Prejudica significativamente o desempenho de atividades corriqueiras

Sintomas da fobia social

Os sintomas da fobia social são parecidos com os de outros transtornos de ansiedade, causando danos também à rotina diária e a qualidade de vida de um indivíduo. A principal diferença se dá nos distintos momentos em que os sintomas aparecem, que têm características bem específicas.

Sintomas de antecipação

Os sintomas de antecipação são aqueles que aparecem antes do evento social acontecer, mas que também podem aparecer durante o mesmo. Sabendo que a situação vai ocorrer em um futuro próximo, o indivíduo pode apresentar:

  • Sensação de desmaio
  • Suor frio
  • Tonturas
  • Alterações no ritmo cardíaco, aceleração ou palpitação
  • Sensação de sufocamento
  • Nó na garganta
  • Diarreia
  • Náuseas

Sintomas situacionais

São aquele sintomas que surgem durante a situação social, em decorrência do alto grau de ansiedade e estresse que o indivíduo está enfrentando, e que impactam diretamente na sua performance naquele momento. Eles poderão (e geralmente vão) aparecer combinados com os sintomas clássicos da ansiedade:

  • Confusão mental
  • Esquecimentos
  • Tremores nas pernas e mãos
  • Voz trêmula, embargada ou ausência de voz
  • Respiração irregular

Consequências da Fobia Social

Afetada por esses sintomas que surgem antes e depois de situações sociais, e sofrendo também as consequências da sua baixa performance, a pessoa irá construir uma sensação de insegurança cada vez mais forte, o que contribuirá para um ciclo vicioso de mais ansiedade antecipatória, e mais experiências sociais ruins.

Esse percurso perigoso pode levar o indivíduo a se isolar para evitar as situações que o deixem ansioso, e com isso, ele vai ter um repertório cada vez menor de interações sociais.

Isso afetará gravemente sua capacidade de ter amigos, de ter relacionamentos íntimos e até mesmo de conseguir ou se manter em um emprego, prejudicando até mesmo sua capacidade de se sustentar.

O que fazer sobre a Fobia Social

Reconhecer que você tem um problema é o primeiro passo para começar a resolver a fobia social. Depois disso, avaliar honestamente os prejuízos que a doença vem causando à sua vida, listá-los e conhecê-los vai trazer mais clareza, e isso deverá reduzir a sensação geral de pânico que a ansiedade traz.

Fora isso, existem algumas medidas que vão ajudar a reduzir os sintomas quando eles começarem a aparecer:

  • Monitorar seus medos e preocupações escrevendo em um diário
  • Evitar o consumo de álcool, drogas, cafeína e nicotina, que podem aumentar bastante os sintomas de ansiedade
  • Praticar exercícios físicos e técnicas de meditação e relaxamento como yoga, mindfulness e outros

As dicas que eu geralmente dou para casos de ansiedade em geral também costumam funcionar para quadros de fobia social.

Procurar um psicólogo é fundamental

Apesar dessas soluções paliativas, para entender e controlar a fobia social é imprescindível que você procure apoio de um psicólogo o quanto antes.

Um psicólogo pode ajudar de diversas formas. Comumente eu trabalho utilizando técnicas de relaxamento, identificando os padrões de pensamento e comportamento que podem desencadear ansiedade ou pânico, e ajustando os mesmos a fim de ajudar a modificar esses comportamentos.

É um processo que normalmente toma algum tempo, em que vou ajudando o paciente a se expor de forma segura às situações que lhe causam ansiedade, de forma gradual e contínua.

Para casos mais graves, nós utilizamos a terapia em conjunto com tratamento medicamentoso, indicado por um psiquiatra.

Alguma dúvida sobre o assunto? Use os espaço dos comentários para enviar suas dúvidas. As consultas são agendadas e podem ser realizadas de forma presencial ou online. Entre em contato pelo número (27) 99978-0990 ou pelo WhatsApp.

Cuide bem da sua saúde mental. Você merece uma vida plena!

Isso foi útil?
+1
0
+1
0
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias

A meditação e seus benefícios 1

A meditação e seus benefícios

Sabia que além de acompanhamento psicológico, remédios e atividade física, a meditação também pode ajudar no tratamento da ansiedade.

Transtornos mentais causados pelo trabalho 2

Transtornos mentais causados pelo trabalho

Já ouviu a famosa frase: o trabalho dignifica o homem? Mas o que fazer quando ele se torna uma fonte de desenvolvimento e agravamento de doenças psicológicas?

Transtorno de Estresse Pós-Traumático – As dores do passado também têm solução 3

Transtorno de Estresse Pós-Traumático – As dores do passado também têm solução

Todo mundo conhece alguém que já passou por um evento traumático que gostaria de esquecer. Mas quando essas memórias negativas começam a atrapalhar sua vida no presente por muito tempo, é hora de investigar se você não desenvolveu estresse pós-traumático.

Os efeitos psicológicos da Cirurgia Ortognática 4

Os efeitos psicológicos da Cirurgia Ortognática

Você sabe a importância do acompanhamento psicológico na cirugia ortognática?

Teste: será que você tem hipocondria? 5

Teste: será que você tem hipocondria?

Quando você ouve falar de uma doença já fica preocupado, acreditando que pode estar sofrendo dela? Quando sente uma dor, faz várias buscas na internet, já imaginando ter a pior doença sugerida? Será que é hora de buscar ajuda.

Você conhece as principais abordagens da psicologia? 6

Você conhece as principais abordagens da psicologia?

Existe uma grande quantidade de abordagens disponíveis dentro da psicologia para cuidar da nossa saúde mental, descubra qual pode ser mais adequada pra você!

Apoio psicológico no pré-natal para gestantes e familiares 7

Apoio psicológico no pré-natal para gestantes e familiares

A gravidez é um período de muita felicidade, mas também vulnerabilidade física e emocional e ter um apoio psicológico é fundamental para aliviar o turbilhão de emoções vivenciado pela família.

As causas psicológicas da insônia 8

As causas psicológicas da insônia

Dormir tem sido um desafio na sua vida? Saiba as causas psicológicas da insônia e como um psicólogo pode ajudar você a se libertar desse problema.

Vamos conversar?
1
Precisa de ajuda?
Olá, tudo bem? 👋
Às vezes precisamos de uma mãozinha com alguns problemas. Um psicologo pode te ajudar em vários desses problemas. Agende seu primeiro atendimento!