Blog

Superando o fim de um relacionamento

O fim de um relacionamento é em geral um evento de muito impacto na vida das pessoas, causando grande sofrimento às partes envolvidas.
fim do relacionamento

Desde tempos imemoriáveis, a humanidade se confronta com os problemas de relacionamentos e seus eventuais rompimentos. Seja pelo motivo que for, dar fim a uma relação de qualquer tipo é sempre algo mais ou menos doloroso, e no processo, as pessoas podem experimentar sintomas que teriam em situações de luto, ou até mesmo aqueles que são comuns em quadros graves de depressão ou ansiedade.

Em milhares de anos de humanidade isso ainda hoje não mudou. E por que continuamos a sofrer tanto com separações? A psicologia explica!

Por que o fim de um relacionamento geralmente nos faz sofrer?

Não, não tem nada de errado em você se sentir mal depois de romper com uma relação, mesmo que ela tenha sido ruim para você. Na verdade, isso é natural e até esperado.

Um fim de um relacionamento é a conclusão de um ciclo de vida com uma pessoa. O que ocorre é que, ao longo do tempo de convívio, a sua própria identidade é afetada por esse ciclo de vida, de maneira que sem essa pessoa (e a experiência cotidiana com ela) você pode sentir que perdeu parte do que você é.

Some a isso as memórias que ainda estarão recentes (e que vão acompanhar você por algum tempo) e o resultado final dessa ausência é um grande desconforto geral.

Esse sofrimento deverá durar até que novas memórias sejam criadas e sua identidade seja “reconstruída” sem aquele relacionamento, o que em condições normais não deve demorar muito tempo.

Até onde é saudável sofrer pelo fim de um relacionamento

Como eu disse, é perfeitamente normal se sentir meio para baixo após um término: pessoas que terminaram um relacionamento recentemente costumam relatar sensação de solidão, angústia, perda de si mesmos ou de quem são como pessoa.

Pode variar muito de um indivíduo para outro, mas esse sofrimento deixa de ser normal quando se prolonga por muito tempo, ou quando após um longo período, a pessoa continue sem sentir vontade de se relacionar novamente.

Tem alguma forma de fazer um término ser menos traumático?

Sim, há maneiras de reduzir esse sofrimento, mas é importante saber que não há nenhuma forma de eliminá-lo por completo. Aceitar o sofrimento e experimentá-lo, inclusive, é uma das maneiras de reduzir o seu impacto.

Se você está descontente com o seu relacionamento e pretende terminar, a dica é que seja honesto com o outro, converse sobre os problemas e sobre o quanto eles estão te fazendo mal.

O impacto pode ser grande (e vai ser de qualquer forma, independente da sua abordagem), mas quando você é direto e objetivo, você joga limpo, sai do relacionamento sem carregar nenhuma questão mal-resolvida e até ajuda o outro a se libertar mais rapidamente.

Para quem ativamente terminou o relacionamento, ou para quem recebeu a notícia do fim, faz muito bem buscar novas programações, sair e encontrar amigos e família. Isso porque você começa dessa maneira o processo de criação de novas memórias e de reconstrução da sua identidade como indivíduo.

Esse processo de reconstrução pode ser bastante gradual e delicado, portanto pode ser uma boa ideia manter uma certa distância do ex-parceiro em um primeiro momento, evitando muito contato e proximidade. Utilize esse novo tempo “livre” para se focar no seu autoconhecimento e em atividades que te dão prazer.

É importante também manter o foco no porquê do relacionamento ter terminado e no lado positivo disso. Pense em você, e no que existe de bom para você com o fim do relacionamento.  É útil criar uma lista com essas informações, para ajudar você a manter o foco.

E pode parecer um clichê, mas geralmente o tempo é o fator mais importante na cura dessas dores todas.

Outras dicas que eu dou para ajudar na superação desse sofrimento são:

Um psicólogo pode ajudar a acelerar o processo de recuperação

O fim de um relacionamento não é um evento homogêneo, é composto de várias fases, com características diferentes e intensidades emocionais diferentes.

Um psicólogo poderá ajudar você a atravessar essas etapas do fim de um relacionamento trabalhando para isso principalmente o autoconhecimento. Por meio do autoconhecimento você irá gradualmente se redescobrindo como um indivíduo que existe sem o relacionamento que terminou.

Conforme eu disse, a identidade de uma pessoa é fortemente afetada pela convivência e por isso, muitas vezes os interesses dentro de um relacionamento acabam se fundindo, e pode ser bastante complicado identificar o que você realmente gosta, o que você realmente pensa para si, e o que você fazia e pensava para entrar em harmonia com o outro.

Você está no fim de um relacionamento, ou acredita que logo estará? Talvez não tenha superado bem um rompimento que aconteceu já há um tempo? Alguma dúvida sobre o assunto? Use os espaço dos comentários para enviar suas dúvidas. As consultas são agendadas e podem ser realizadas de forma presencial ou online. Entre em contato pelo número (27) 99978-0990 ou pelo WhatsApp.

Cuide bem de você! =D

Isso foi útil?
+1
0
+1
0
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias

A meditação e seus benefícios 1

A meditação e seus benefícios

Sabia que além de acompanhamento psicológico, remédios e atividade física, a meditação também pode ajudar no tratamento da ansiedade.

Transtornos mentais causados pelo trabalho 2

Transtornos mentais causados pelo trabalho

Já ouviu a famosa frase: o trabalho dignifica o homem? Mas o que fazer quando ele se torna uma fonte de desenvolvimento e agravamento de doenças psicológicas?

Transtorno de Estresse Pós-Traumático – As dores do passado também têm solução 3

Transtorno de Estresse Pós-Traumático – As dores do passado também têm solução

Todo mundo conhece alguém que já passou por um evento traumático que gostaria de esquecer. Mas quando essas memórias negativas começam a atrapalhar sua vida no presente por muito tempo, é hora de investigar se você não desenvolveu estresse pós-traumático.

Os efeitos psicológicos da Cirurgia Ortognática 4

Os efeitos psicológicos da Cirurgia Ortognática

Você sabe a importância do acompanhamento psicológico na cirugia ortognática?

Teste: será que você tem hipocondria? 5

Teste: será que você tem hipocondria?

Quando você ouve falar de uma doença já fica preocupado, acreditando que pode estar sofrendo dela? Quando sente uma dor, faz várias buscas na internet, já imaginando ter a pior doença sugerida? Será que é hora de buscar ajuda.

Você conhece as principais abordagens da psicologia? 6

Você conhece as principais abordagens da psicologia?

Existe uma grande quantidade de abordagens disponíveis dentro da psicologia para cuidar da nossa saúde mental, descubra qual pode ser mais adequada pra você!

Apoio psicológico no pré-natal para gestantes e familiares 7

Apoio psicológico no pré-natal para gestantes e familiares

A gravidez é um período de muita felicidade, mas também vulnerabilidade física e emocional e ter um apoio psicológico é fundamental para aliviar o turbilhão de emoções vivenciado pela família.

As causas psicológicas da insônia 8

As causas psicológicas da insônia

Dormir tem sido um desafio na sua vida? Saiba as causas psicológicas da insônia e como um psicólogo pode ajudar você a se libertar desse problema.

Vamos conversar?
1
Precisa de ajuda?
Olá, tudo bem? 👋
Às vezes precisamos de uma mãozinha com alguns problemas. Um psicologo pode te ajudar em vários desses problemas. Agende seu primeiro atendimento!